ATENDIMENTO: Aberto de Segunda a Sábado das 9h às 20h | TELEFONE: (48) 3034-9400
BUSCA


Acompanhe as novidades do MundoCar:

NOTÍCIAS
10 Cuidados com Pneus que você não sabia

Nada pior ao orçamento familiar do que os gastos com imprevistos, como nos casos em que o pneu do carro fura ou perde seu prazo de validade, que pode diminuir por causa do mau uso, tais como falta de calibragem, excesso de peso, entre outros exemplos. Ao seguir cuidados básicos com pneus os proprietários ganham em durabilidade e não precisam tirar dinheiro do bolso para comprar novas unidades tão cedo.

1 # Excesso de Peso

Evitar o excesso de peso está entre os clássicos cuidados com pneus. Você sabia que bagagem em excesso acaba com a vida útil do pneu em 30%.

Por este motivo fique atento com qualquer excesso de carga, desde suportes às bicicletas (normalmente situados na parte de cima ou traseira dos carros) até revistas, jornais ou brinquedos de crianças.

2 # Pneu Careca ou Fora da Validade

O ditado é antigo: Pneu careca não presta. Quem trafega nestas condições de modo provável vai ter a surpresa do pneu furado, o que demanda trocas por estepe e sujeira na roupa, algo detestável à grande parte dos motoristas.

Outro dos cuidados com pneus é seguir o prazo de validade descrito nas embalagens. Sem esta informação os motoristas não imaginam qual a data em que devem providenciar as trocas e ficam suscetíveis aos danos do pneu inválido.

3 # Calibragem e Ambiente

Motoristas precisam calibrar os pneus no mínimo a cada duas semanas. Tenha em mente de que quando descalibrados geram 25% de consumo adicional de combustível. Isto ocorre porque nestas condições o motor precisa trabalhar com maior força.

Vale ressaltar o tráfego nos ambientes arenosos, como praias, por exemplo, nos quais motoristas devem calibrar de forma semanal por causa das condições ambientais (excesso de umidade).

4 # Pressão Correta

Trafegar com excesso de pressão é contraindicado, não se assuste quando o pneu muito calibrado rodar pulando, um grande perigo às pistas molhadas nas quais acontecem o fenômeno da aquaplanagem.

Por outro lado, os cuidados com pneus indicam que é ainda pior ter menos pressão, porque acelera o desgaste, aumenta o consumo de combustível, gera queda da estabilidade nas curvas, perda de capacidade nas manobras e desgaste prematuro dos terminais de direção.

5 # Escolhas e Pistas

Escolher modelos de acordo com as pistas também é indispensável à longa durabilidade, trafegar com melhor qualidade, economizar combustível, entre outras vantagens que apenas os condutores que seguem tais cuidados com pneus conseguem obter.

OFF-Road, verde, misto, enfim, o que não falta são tipos de pneus que se adequam às diferentes pistas. Sem contar que os fabricantes trabalham de modo constante para lançar novidades que se adequam melhor inclusive ao ambiente climático.

6 # Rodízio

Necessário promover o rodízio dos pneus de modo constante, no mínimo em cada 2 meses. Isto ocorre porque os pesos em ambos os lados podem oscilar, o que gera desgasto prévio quando não há este tipo de troca. Para fazer rodízio é simples, basta trocar as unidades traseiras pelas dianteiras em cada mês.

7 # Velocidade

Não se pode ignorar o fato de que excesso de velocidade gera danos aos pneus. Isto ocorre porque ao acelerar há acúmulo de calor à parte interna, gerando desgaste da borracha.

Por este motivo os motoristas que apreciam acelerar com entusiasmo devem providenciar a pressão correta e comprar pneus com qualidade.

Atenção! Não se esqueça de jamais exceder os limites de velocidade!

8 # Acessórios dos Pneus

Acessórios são importantes para proteger os pneus. Por exemplo, existem as capas de estepes que defendem a borracha e garantem qualidade ao pneu-extra.

Nos dias de hoje há inclusive os sprays de furo, ideais para serem usados nos pneus furados. Por exemplo, quem segue às reuniões de negócios e tem o pneu furado, ao invés de se sujar para trocar por estepe ou perder tempo ao chamar o seguro, pode espirrar este spray e seguir seguramente, sem sujeira ou atraso, ao destino.

Neste link há informações sobre o spray que sela os furos e salva seu pneu para prosseguir com o carro até à próxima borracharia.

9 # Direção

Há precauções necessárias na direção para evitar gastos excessivos nos pneus. Por exemplo, é preciso evitar parar nas superfícies com gasolina ou óleo. Também existe o dever de seguir outros pontos, tais como:

  • Sempre trafegar em superfícies acidentadas;
  • Verificar os pneus para saber se há objetos estranhos na banda de rodagem;
  • Jamais frear bruscamente.

10 # Dicas Adicionais

  1. Independente se os motoristas apreciam ou não correr é um dever sempre comprar pneus de qualidade, assegurados conforme testes do INMETRO, que no Brasil representa o principal órgão fiscalizador de qualidade.
  2. Clique no link e aprenda a escolher a calota correta ao seu carro!
  3. Você sabia que os desgastes nos amortecedores são principais vilões dos pneus? Saiba mais neste artigo.
  4. Entre os grandes cuidados com pneus vale o destaque para sempre revisar antes de viajar (leia um texto sobre este assunto)!

 

Fonte: Dunloppneus.com.br

 
Conheça as principais vantagens de usar gasolina aditivada

Na hora de abastecer o carro, muitos brasileiros ficam em dúvida por qual combustível optar. Por não conhecer bem todas as vantagens de usar gasolina aditivada, há quem prefira o tipo comum apenas considerando o quesito preço.

A verdade é que, independentemente da sua escolha, a qualidade dos dois tipos melhorou muito neste último ano. A própria gasolina comum passou a ter uma quantidade de detergente dispersante, um valor mínimo de aditivação.

Para Ernani Filgueiras, gerente de Abastecimento do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), a medida melhorou o nível dos combustíveis comercializados no país até então. Segundo ele, trata-se de um benefício adicional para os consumidores.

Gasolina comum x aditivada

A principal diferença entre a gasolina comum e a aditivada está na quantidade desses detergentes dispersantes. Para distingui-las visualmente, as distribuidoras geralmente adicionam corante na gasolina aditivada.

Mas, então, qual dos dois combustíveis você deve usar no seu veículo, gasolina comum ou aditivada? A orientação da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) é seguir a orientação do fabricante, por meio de consulta ao manual do proprietário ou ao serviço de atendimento ao cliente.

Caso seu veículo seja importado, normalmente a octanagem é informada. Nesse caso, a orientação é preferir o combustível cujo valor mais se aproximar do estipulado pelo fabricante.

Além disso, outros fatores também podem ajudar nessa avaliação de custo-benefício sobre qual tipo escolher. A forma de utilização do carro, por exemplo, é uma delas.

Segundo a ANP, em situações de trânsito intenso ou tráfego em trechos curtos, nas quais o motor não chega a aquecer até o ponto de funcionamento ideal, a gasolina aditivada é muito favorável.

É nesses casos em que há maior formação e acúmulo de depósitos, e é onde a maior quantidade de detergentes dispersantes adjudará a manter limpo todo o sistema de alimentação do combustível.

Entretanto, a gasolina comum acaba sendo mais indicada quando as velocidades médias são altas, como nas viagens em rodovias, por exemplo. Vale ressaltar que os aditivos presentes no combustível podem variar de uma marca para outra e das vantagens que cada distribuidora deseja proporcionar com o seu combustível.
Outras vantagens de usar gasolina aditivada

Se você é adepto do tipo comum e não pensa em mudar, saiba que as vantagens de usar gasolina aditivada não param por aí. Confira outros cinco benefícios do combustível para o seu veículo, de acordo com a IBP.

    Limpeza: ajuda a manter limpo o motor do carro. E motor limpo funciona melhor.
    Bicos: também mantém limpos os bicos da injeção eletrônica.
    Antioxidante: a presença de antioxidantes conserva mais o combustível com a gasolina aditivada.
    Melhora a queima: mantendo o motor mais limpo, há melhor queima de combustível na câmara de combustão, o que gera melhor funcionamento do veículo.
    Menos poluição: com menor quantidade de enxofre, a gasolina aditivada polui menos o meio ambiente.

 
Só seminovos continuam crescendo na venda de veículos usados

As vendas de veículos usados caíram pelo 1,22% em maio, na comparação com o mesmo período de 2015, segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Foi o terceiro mês consecutivo de baixa no segmento, mas a queda foi menor do que em março e abril.

No mês passado, foram negociados 844.238 carros, caminhões e ônibus contra 854.687 em maio de 2015.

No acumulado de 2016, foram vendidos 3,9 milhões de veículos usados, um montante 4,13% menor que o dos primeiros 5 meses do ano anterior.

Considerando só os carros, a baixa em maio foi de 1,28% e, no ano, é de 4,25%.

Por idade
Só os "usados seminovos" continuam crescendo nas vendas. É assim que os veículos com até 3 anos de uso são chamados pela Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), que também monitora o segmento e divulga dados de acordo com a "idade" do veículo.

As vendas de seminovos subiram 25,3% em maio, na comparação com 1 ano atrás. No acumulado do ano, a alta é de 24,1%.

Entre "usados jovens" (de 4 a 8 anos), as vendas caíram 9,6% no mês passado e 13,2% contando o período de janeiro a maio, sempre na comparação com 2015.

As vendas de "usados maduros" (9 a 12 anos) baixaram 13,2% em maio e acumulam queda de 12,7% no ano.

Os "velhinhos", como são chamados veículos com 13 anos ou mais de uso, tiveram baixa de 16,3%  no mês passado e, no acumulado do ano, a queda chega a 17,1%.

 
Vendas de carros seminovos estão em alta

Empresas que trabalham no ramo de carros usados fecharam 2015 com boas vendas. Ano começa com expectativa de bons negócios

Levar para casa um veículo seminovo tem sido a preferências de quem está comprando o primeiro carro da família ou trocando o que possui por um mais próximo de um zero quilometro. Enquanto setores fecharam 2015 com apertos nas vendas, as garagens de usados e seminovos destacam um bom resultado. A expectativa de quem está neste ramo é de que em 2016 as vendas continuarão dentro da normalidade para o atual momento econômico do país. Há quem acredita que a partir do final do primeiro semestre deste ano os negócios estarão bem mais aquecidos dos registrados nestes 30 dias iniciais de 2016.

De acordo com o gerente da loja de seminovos da Carazinho Veículos, Eduardo Becker Pinto, os índices de vendas de 2015 surpreenderam quando fecharam 32% acima dos registrados no ano de 2014. “O ano passado foi muito bom levando-se em conta o segmento dos veículos novos”, disse o gerente, que acredita na continuidade do momento positivo. Segundo ele, o consumidor está dando preferência por veículos com custo que vai de R$ 30 mil a R$ 35 mil. A preferência fica para veículos 2013 ou 2014, que geralmente apresentam baixa quilometragem rodada. “Hoje também existem boas condições de financiamentos para carros usados, com taxas de 1,8%. Aquele consumidor que deseja prazo também consegue fechar negócio para pagar em até 60 meses”, explica o gerente, lembrando que na linha de novos existem taxas zero.

Normalidade a partir de 2017
O gerente da loja Alexandre Automóveis, Edson Kunrath concorda que o ano de 2015, mesmo com toda a crise propagada, foi um período bom para o setor de seminovos. “Os negócios apenas fracassaram nos meses de setembro e outubro. Já no mês de dezembro registramos um aquecimento nas vendas, o que equilibrou o movimento de 2015”, explica ele, destacando que as três primeiras semanas de janeiro também foram de boas vendas. “Provavelmente até o final do mês de março sentiremos uma redução nos negócios, que certamente retornarão de forma mais acentuadas depois do maio e junho”, prevê.

Para Kunrath, existe uma forte tendência que em 2017 os negócios começarão a se aproximar dos registrados entre 2011 e 2013. “Estamos confiantes de que o País superará este momento de dificuldades e a partir de 2017 tudo voltará à normalidade em termos de crescimento”, comentou. Ele adianta que na loja a preferência do comprador é por veículos que variam de R$ 20 mil a R$ 35 mil. “Tem consumidor que está deixando de comprar um carro popular zero quilômetro para adquirir um usado de luxo, pelo mesmo preço”, concluiu, lembrando que tem consumidor que compra carros acima dos R$ 80 mil.

Fonte: http://www.diariodamanha.com/plantao/ver/17115/Vendas+de+carros+seminovos+estão+em+alta

 
BR 101 - Km 207
Kobrasol - São José - SC